Impressões de viagem

Conhecer outro país é essencial para qualquer ser humano. Vivenciar no mínimo dois ou três dias de uma cultura completamente diferente é uma experiência que muda para sempre o seu jeito de enxergar a vida. Pelo menos comigo foi assim. Cada cidade, cada país, cada meio de transporte diferente, cada palavra nova, é um pedaço do mundo que passa a ser meu. E ninguém mais tira. Ninguém apaga aquela lembrança da minha memória.
E são tantas boas lembranças! Ai, os olhos azuis dos italianos… Na Itália quem tem olhos castanhos e sem graça como os meus deve fazer sucesso porque os azuis são muito comuns! Os vinhos, as cantadas, as massas, as mesas, as calçadas, o gelato… Como é bom o sorvete italiano, mesmo no frio! E o que dizer da história da civilização ocidental contada em um passeio pelas ruínas da Roma Antiga? Confesso que arriscar algumas palavras em italiano foi uma das experiências mais divertidas e sexys da viagem. Sexy sim, porque foi a única palavra que encontrei para descrever a sensação que esse idioma causa em mim. Vai ser minha terceira língua com certeza. E minha décima garrafa de vinho também! Aqui em Dublin dizem que depois da terceira pint todo mundo fala inglês fluentemente. Por isso pretendo voltar à Itália e ver como isso funciona com vinho!
Fiquei tão apaixonada pela Itália, que é difícil falar dos outros países com a mesma intensidade e prazer. A breve passagem pela França me fez discordar dos turistas que acham os franceses mal-educados. Achei-os muito simpáticos e amigáveis. Talvez eu trocasse “mal-educados” por “mal cheirosos”, porque Paris não cheira nada bem.
Amsterdã é linda! Os holandeses são dóceis também. E embora a língua deles pareça ser de outro planeta, o inglês é muito bom! Ainda há muitas impressões para registrar aqui, mas o importante é que em mim elas já estão fazendo diferença!

Anúncios

O novo

Hoje demorei a levantar da cama. Não porque estivesse sonolenta, já estava acordada há horas, mas porque senti medo de enfrentar esse dia. Talvez pela primeira vez desde que tomei a decisão de passar um ano fora do país, senti medo. Hoje duvidei de que a decisão que tantos amigos classificaram como corajosa, fosse realmente a escolha certa. Sabia que ao levantar nessa manhã, eu não seria mais a mesma pessoa. Assim que meus pés tocassem o chão seria o primeiro passo de uma vida nova, no sentido mais literal de “vida nova”: um novo idioma, um novo país, novos amigos, um novo continente.
Então senti vontade de escrever aqui. Quando criei o blog, a ideia era mesmo me tornar uma nova pessoa. Só não imaginei que seria tão nova a ponto de atravessar o oceano!
Levantei da cama e dei os primeiros passos, como se estivesse preenchendo páginas em branco. Não páginas de um livro em branco, mas um novo capítulo de um livro já muito bem escrito.
Fiz um café bem forte e decidi, entre alguns goles, que minha nova vida será guiada por três pilares a partir de agora: otimismo, amor e luz!