Merry Christmas!

Se algumas vezes um post no melhor estilo “meu querido diário” é justificável, essa é uma delas. Um Natal em Dublin. O primeiro Natal fora do Brasil. O primeiro Natal na Europa.

Passar essa data longe de casa não era nem de longe uma das minhas preocupações ao decidir fazer intercâmbio. Primeiro porque nunca fui muito fã do tal espírito natalino, segundo porque já passei outros natais longe da família, há mais de mil quilômetros de distância, trabalhando, e sobrevivi até bem.

Mas num país estranho a coisa muda de figura. Quanto mais dezembro avançava e mais eu ouvia as músicas natalinas, via as promoções de perus e a decoração brilhando pela cidade, mais meu coração amolecia. Até que fiquei realmente preocupada em saber como seria meu Natal. Tinha o convite de um amigo brasileiro para a ceia do dia 24, mas eu não conhecia a grande maioria dos participantes. Será que iria me sentir sozinha? Será que sentiria tanta saudade da família que passaria o dia chorando? E aqui em casa? Como minhas flatmates irlandesas iriam comemorar o Natal? Descobri às vésperas da data que os irlandeses não celebram absolutamente nada no dia 24. A ceia, com peru e pernil, acontece no dia 25. Eles chamam de dinner (jantar), mas começam a comer por volta das três horas da tarde. A véspera é apenas um dia comum.

Uma das irlandesas que dividem a casa comigo se encarregou da ceia, que seria aqui mesmo. Então, as duas irlandesas iriam receber suas famílias para um típico natal irlandês.
Mas a minha ceia seria no dia 24, portanto eu estaria em casa no dia seguinte e sem programação. Ofereci ajuda, mas tudo já estava providenciado, então comprei algumas nozes, castanhas e frutas secas para compor a mesa.

E parti para o Natal brasileiro. Lá descobri que todos estavam na mesma situação: brasileiros (a maioria), italianos, indianos, franceses, todos longe de suas famílias, como se tivessem caído do trenó do Papai Noel. E pouca gente realmente se conhecia. Peru, farofa, pernil e até rabanada! Comida não faltou. Mas a surpresa ficou por conta da união e do carinho que experimentei ali. Durante a festa, uma brasileira convidou quem quisesse para uma pequena oração, longe da música e da bebida. Pessoas antes desconhecidas se deram as mãos e rezaram juntas. Agradeceram umas às outras e a Deus pelo momento e pela oportunidade. Lágrimas, emoção e abraços. É, o tal espírito natalino foi mesmo contagiante.

E ainda tinha muito mais reservado para mim! No dia seguinte, em casa, acordei e entreguei os presentes comprados para as minhas flatmates, em agradecimento pela calorosa acolhida durante o primeiro mês de intercâmbio. Para minha surpresa, também ganhei presentes! Então as famílias começaram a chegar. E eu fui ficando assustada, porque dois irlandeses conversando ao mesmo tempo já é difícil de entender, imaginem oito! E dizem que os mais velhos tem um sotaque ainda mais forte, por isso quando os pais delas chegaram, alguns já mais idosos, fiquei desesperada! Foi aquela bagunça e eu não entendia uma palavra, a não ser “Happy Christmas”.

Quando fui apresentada à Mrs. Fletcher, a matriarca da família (descobri que minhas duas flatmates são da mesma família), ela me entregou um presente e disse “this is for you, darling!” (Isso é para você querida!). Sem esconder a surpresa abri o pacote e encontrei uma linda caixinha de música, igualzinha àquelas que vemos nos filmes. O jantar, embora servido às três da tarde, foi maravilhoso! Eu não entendia muita coisa do que se falava, mas volta e meia alguém se concentrava em mim e perguntava algo sobre o Brasil e eu entrava devagar na conversa. Todos foram adoráveis e me fizeram sentir parte da família. Depois de ligar para o Brasil e me emocionar um pouco trocando algumas palavras com minha mãe, acho que finalmente entendi o espírito natalino! Depois de 30 anos entendi que no Natal não importa quem você é ou de onde você veio, você será sempre bem-vindo e bem recebido por todos. Melhor mesmo é estar perto da família de verdade, mas se isso não for possível, sempre tem um pouco de carinho sobrando em algum lugar, basta estar disposto e aberto para receber!

Merry Christmas!

Anúncios

2 Comentários on “Merry Christmas!”

  1. Aline disse:

    Poxa, eu chorei novamente ao ler esse post…e digo isso com orgulho, porque é surreal ter pessoas tão verdadeiras “família de amigos” em tão pouco tempo 😀
    Agradeço a Deus diariamente por cada um de vocês em minha vida, obrigada pelas palavras, elas entraram no coração! 😀

  2. elainenunes disse:

    Que bom Aline! Eu fiquei realmente surpresa com tudo! Foi muito legal!


Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s